VR Advogados | Dr. Thiago Rafael Vieira é citado na Gazeta do Povo!
16227
post-template-default,single,single-post,postid-16227,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,transparent_content,qode-theme-ver-12.1,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.2,vc_responsive

Dr. Thiago Rafael Vieira é citado na Gazeta do Povo!

 

O tradicional jornal paranaense, a Gazeta do Povo, com quase 100 anos de tradição, citou o Dr. Thiago Rafael Vieira em excepcional matéria da Editoria Justiça referente ao tema do aborto.

A matéria tem como título “Defesa da vida: por que o aborto não deve ser legalizado no Brasil” e reúne uma série de reportagens especiais sobre o tema, analisando a Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 442, ajuizada pelo PSOL no Supremo Tribunal Federal (STF) em março daquele ano e que requer a legalização irrestrita do aborto até a 12ª semana de gestação.

O Dr. Thiago foi entrevistado pelo jornalista Renan Barbosa e citado na matéria, segue alguns trechos:

  • “Na ADI 3.510, estávamos falando de embriões congelados. Não é caso de aborto. O Código Penal é claro ao dizer que o aborto se dá no ambiente uterino. Um ser vivo tem de ter a capacidade de se mover por conta própria, de autodesenvolvimento. O embrião congelado não tem como se desenvolver sem uma intervenção exógena, sem o médico implantá-lo em um útero”, explica Thiago Rafael Vieira, especialista em Direito do Estado e diretor da Associação Nacional dos Juristas Evangélicos (Anajure).
  • O acórdão da ADI 3.510 deixa claro: “É constitucional a proposição de que toda gestação humana principia com um embrião igualmente humano, claro, mas nem todo embrião humano desencadeia uma gestação igualmente humana, em se tratando de experimento “in vitro”. Situação em que deixam de coincidir concepção e nascituro, pelo menos enquanto o ovócito (óvulo já fecundado) não for introduzido no colo do útero feminino”. Em seguida: “Não se cuida de interromper gravidez humana, pois dela aqui não se pode cogitar. A ‘controvérsia constitucional em exame não guarda qualquer vinculação com o problema do aborto’”.

Segue link para você acompanhar a reportagem na íntegra:

Defesa da vida: por que o aborto não deve ser legalizado no Brasil

Anteriormente a essa matéria, o Dr. Thiago também foi citado em outra reportagem da Gazeta: “Decisões anteriores do STF não servem como base para descriminalizar o aborto”, publicada em 28 de julho de 2017, no mesmo caderno justiça. Segue abaixo o link da reportagem na íntegra:

https://www.gazetadopovo.com.br/justica/decisoes-anteriores-do-stf-nao-servem-como-base-para-descriminalizar-o-aborto-ec1008q88yevgs3w7w5r83n4u